Ano: 2013
Área Total: 5.000m²
Localização: Santa Cruz de Cabral

Ecologia e sustentabilidade

Um muro sinuoso de pedra percorre longitudinalmente todo o terreno estreito e comprido na Costa do Descobrimento entre a estrada, a praia e o mar. Uma marca, como marcaram os primeiros habitantes europeus a costa do Brasil com seus muros e fortificações.

Assim como nos ambientes coralíneos agrega-se a esse muro, num processo que lembra as concentrações de organismos recifais, as diversas edificações do museu. Vão se sucedendo os ambientes expositivos dos diversos biomas aquáticos e terrestres do nosso país. O muro de pedra e a estratégia de agregar novos ambientes numa estrutura torna possível que o museu seja construído em etapas sem que se perceba em nenhum momento a falta de um ou mais “organismos”.

Preservamos com o projeto a vegetação original do terreno e faremos a recomposição da vegetação em 80% da área construída diminuindo o foot-print das edificações. Visto da praia e do mar, o museu tende a desaparecer na paisagem, mimetizando-se com a incorporação de elementos da topografia e da vegetação autóctone.

Iluminação natural farta e ventilação passiva irão contribuir decisivamente para a diminuição do consumo de energia. Geração de energia eólica, placas fotovoltaicas, tratamento dos esgotos para reutilização e captação de águas pluviais contribuirão para a sustentabilidade e responsabilidade ecológica do Museu.

Os materiais utilizados na construção são provenientes de regiões próximas , como a taubilha, e a estrutura de MLC (madeira laminada colada) de eucalipto completam a lista de ações visando baixo consumo de energia e a utilização de recursos renováveis.

Autores: Ivo Mareines e Rafael Patalano

Museu MUMA

Um museu para o meio ambiente